20 de março de 2014

Exposição feita pelo CCDR Quintos 01/03/2014!

Centro Cultural Desportivo e Recreativo da
 Casa do Povo de Quintos
 Largo António Paulino Brites S/N
 7800-661 Quintos – Beja

Exmos Senhores 
Foi com alguma surpresa, que voltámos a receber via mail, o calendário dos 1/8 de Final do Troféu Inatel de Beja, que dava como consumado o resultado do jogo nº 17 (dezassete) relativo aos 1/16 de Final, entre o CCDR da Casa do Povo de Quintos e o Serrano Futebol Clube, com a respetiva passagem desta equipa aos tais 1/8 de Final. Meus senhores, a razão desta surpresa e a indignação que a Direção deste CCD sente neste momento é sustentada pelos seguintes incidentes, que julgamos nós, e não o concebemos de outra forma, são relatados nos relatórios do árbitro ao jogo e da força da GNR chamada a intervir por solicitação do mesmo e também do nosso Delegado ao jogo.

• Aos 30 minutos da 2ª parte e quando o Serrano F.C. vencia por 2 a 0 , na sequência de uma falta assinalada contra esta equipa na imediação da sua área, o seu guarda redes, nº1 (um), Nuno Guia, depois de ser advertido com cartão amarelo, parte para a agressão verbal e física ao senhor árbitro, agarrando-o pela gola da camisola e arrastando-o alguns metros, não consumando a sua intenção na totalidade devido à intervenção dos jogadores das duas equipas que se encontravam por perto.
• Na sequência desta situação o senhor árbitro solicitou ao Delegado do CCDR da CP de Quintos a presença da GNR o que foi de imediato feito embora as condições de segurança não estivessem em causa, pois estavam presentes 5 (cinco) auxiliares de segurança do clube perfeitamente identificados.
• O jogo esteve interrompido cerca de 10 minutos.
• Reatado o jogo e acalmados os ânimos, sem que nada o justificasse, até porque na nossa perspetiva o senhor árbitro estava a fazer uma boa arbitragem ( ponderado e razoável nas decisões), na sequência de uma entrada mais agressiva, punida com falta e cartão amarelo ao jogador nº13 (treze) do Serrano, este discordando “agrediu” verbalmente o árbitro tendo –lhe este, de imediato, mostrado o cartão vermelho direto, cartão esse que deixou cair.  Quando se baixou para o apanhar, foi barbaramente agredido a pontapé pelo jogador nº 13, tendo tombado no terreno de jogo. Não houve qualquer hipótese de alguém poder intervir. O mesmo jogador completamente alterado, ainda tentou agredir um elemento da segurança e o Treinador do nosso CCD.

• O senhor árbitro assim que se levantou apitou o final do jogo, quando faltavam jogar no nosso cronómetro cerca de 6 (seis) minutos mais compensações se as houvesse, e voltou a solicitar a presença da GNR. Foi-lhe garantido que a mesma tinha sido contactada e estava a chegar.
• O senhor árbitro dirigiu-se para os balneários em perfeita segurança garantida pelos jogadores e equipa de segurança do CCD de Quintos até á chegada da GNR. Meus senhores, em função do aqui relatado, como pode uma equipa cujos jogadores impedem a normal conclusão do jogo, agredindo por duas vezes, no mesmo jogo, um agente de arbitragem, continuar em prova? É algum prémio que vossas excelências lhe querem dar?
Como é que é possível que um dos agressores apareça no boletim disciplinar enviado por essa Secção de Disciplina e Arbitragem, com 1 (um) jogo apenas por acumulação de amarelos e que não seja feita qualquer referência ao outro agressor ou ao procedimento que vossas excelências vão seguir? Não acreditamos que estes factos não constem do relatório do árbitro ou que vossas excelências uma semana e meia após a ocorrência não tenham conhecimento da mesma.

 Meus senhores, este Centro exige justiça! Exige seguir em prova! Exige punição exemplar para os agressores! Exige que essa Secção de Disciplina seja coerente nas decisões, pois não esquece a punição “exemplar” que essa secção deu a um nosso atleta, impedido de jogar durante 16 meses por algo que não cometeu e que comparativamente aquilo que foi presenciado em Quintos…. Meus senhores, não existiu! O CCD da Casa do Povo de Quintos irá ate ás últimas instâncias no sentido de lhe ser feita justiça, que digamos, resolvido da maneira como aparentemente está a ser por vossas excelências , não contribui para aquilo que deve ser a ética e os objectivos da Fundação Inatel.

A Direcção do CCDR da Casa do Povo de Quintos em 20 de Março de 2014

José António Medeiro Piriquito (Presidente)
António Francisco Felizardo (Vice-Presidente)
José Alho Ramos (Tesoureiro)
Filipe Jorge Dionísio Felizardo (Secretário)

3 comentários:

João Paulo Serpa disse...

Essa inatel esta uma VERGONHA é só XULAREM os clubes e organização são 0000000.

.Modelação Geométrica. disse...

quando se pensa que ja se viu estamos enganados..isto que eu aqui li é uma vergonha..como é possivel estes jogadores continuarem a jogar..agora sera que vao fazer o mesmo no penedo gordo?

jogador veterano disse...

ja algum tempo escrevi um caso idêntico que se passou com os jogadores do almodovarense tambem com o serranos a diferença o que os jogadores do almodovarense apanharam 16 meses por dizer que o arbitro nao percebia nada de futebol ..... uns sao filhos os outros nada ..... e a vergonha que temos a vista nesta inatel querem e dinheiro ... claro que jogam .... nao a control de nada...